|Let me fly away with you|.|Give me more than one caress, satisfy this hungriness|.|Let the wind blow through your heart|.|For wild is the wind, wild is the wind|.|For we're like creatures of the wind, and wild is the wind|.|Wild is the wind…|

14
Abr 06

Stop all the clocks, cut off the telephone, Prevent the dog from barking with a juicy bone, Silence the pianos and with muffled drum Bring out the coffin, let the mourners come. Let aeroplanes circle moaning overhead Scribbling on the sky the message He Is Dead, Put crêpe bows round the white necks of the public doves, Let the traffic policemen wear black cotton gloves. He was my North, my South, my East and West, My working week and my Sunday rest, My noon, my midnight, my talk, my song; I thought that love would last for ever: I was wrong. The stars are not wanted now: put out every one; Pack up the moon and dismantle the sun; Pour away the ocean and sweep up the wood; For nothing now can ever come to any good.


[W H Auden]

publicado por nOgS às 18:47
sinto-me: lost
música: Illuminate me – Gregory Hoskins
tags: ,

03
Abr 06

É da minha janela que te vejo partir, ao fim do dia. Aqueles minutos em que te tentavas esconder por trás das nuvens, guardei-os para mim. Penso tantas vezes se amanhã voltarás de novo. Ou se te perderás nos braços da noite. Acho que é aí que ficas, quando os dias nascem cinzentos. Por isso deixei de ficar triste quando não te vejo logo pela manhã... Porque um dia cinzento para mim, não significa que deixaste de ter brilho... Não vieste apenas. Fazem-me falta os teus raios intensos ao longo do dia. Mas dir-te-ei sempre "até já" no lugar de um "adeus", pois não sei quando voltarás... Sei, apenas, que um dia talvez voltes e fiques. Ou que um dia ganharei forças para te procurar.

publicado por nOgS às 14:52
sinto-me: nostálgica
música: A hard rain's A-Gonna Fall – Bryan Ferry & Roxy Music
tags: ,

 

Somos assim duas sombras um para o outro. Duas imagens de um sonho, duas gotas de água num deserto. Uma impossibilidade de nos materializar-mos lado a lado. E dizem-me que vivo de sonhos impossíveis, que acredito no que não existe. Mas não sabem que um dia esse sonho se materializou e que essas duas sombras ganharam formas, tacto, sabor, calor... E dançaram juntas de um forma indescritível por palavras. Portanto, se tu resides nesse sonho é lá que existo contigo. E será através desse sonho desfocado que te pintarei com sorrisos, que te libertarei da tela e te mostrarei que tudo é possível... Mesmo tornar alguns sonhos realidade. Não basta acreditar nos sonhos, não basta suspirar por utopias, nada basta neste momento. Basta apenas saber que lutamos por algo e que um dia lá chegaremos. E algo sei, neste momento... Essas sombras não serão sombras por muito mais tempo.

publicado por nOgS às 14:27
sinto-me: sombra
música: I don't blame you – Cat Power
tags: , ,

19
Mar 06

 

 

Acordar a meio da noite com o coração aos pulos como se a respiração fosse rebentar naquele preciso momento. Esquecer que se está sozinho. Que a cama está vazia e que, mesmo assim, não te apetece sair dela. A chuva bate na janela como se alguém chamasse por ti constantemente. Reviras-te e aninhas-te de novo no teu mundo. Fartaste-te de ter alguém só por ter ou porque sabe bem simplesmente saber que se tem alguém. Tu... És como eu. Fartaste-te da banalidade com que se usa a palavra amor. E agora já nem sequer a pronuncias a ninguém. Se perdeste o significado dela? Se desacreditas nos que ta disseram ao longo dos tempos? Não sei. O Amor pelo Amor... Esquece as palavras! Ouve o som das gotas de chuva que suplicam por um olhar teu. Sente o calor dos raios de sol que se rasgam intensamente só para sentirem o toque da tua pele. Abre os braços e abraça o vento, porque ele sopra louco na ânsia de te encontrar. Faz castelos na areia, mergulha no mar, passeia pelo campo, sente o cheiro das flores... Porque todos mostram o seu esplendor só para ti. Esquece tudo, esquece todas as banalidades do dia-a-dia, esquece as conversas de ocasião, esquece os compromissos, as promessas, as desilusões, esquece. Ama sem medo, sem receios. Eu estou farta desta censura. Aborrece-me que todos me digam que devia fazer "assim ou assado", porque lhes custa quando me vêm sofrer. Mas o que é afinal o amor sem sofrimento? Será que ainda acreditam em contos de fadas? Eu acredito em ti, só em ti se existires e acreditares no que digo não só por dizer. No que sinto sem receio de o continuar a sentir. Umas lágrimas aqui, outras ali. Umas noites sem dormir. O jantar que se esqueceu. O ar pálido de saudade. Tudo em vão, dizem-me... Mas eles não viram, não sentiram o suave toque da tua pele. O teu sorriso brilhava de tantas e tantas formas em cada momento que me olhavas. Não sabem, não sentem a beleza do que me disseste tantas vezes com um simples olhar. Censuram-me, dizem-me que devia ter alguém, que fique sempre, alguém que me dê estabilidade. Mas nunca me perguntaram se era isso que eu queria. Não é. Quero apenas guardar-te comigo. Não como uma caixinha de jóias ou como um objecto qualquer. Quero guardar-te como és. Perguntam-me se todos os riscos, ou todo o sofrimento é compensado pelos breves momentos em que existimos juntos... Nesta utopia. A minha resposta é um sorriso mudo. Se me perguntares o significado da palavra amor, não to saberei decerto dizer. Sei uma coisa, tal como a chuva, o sol, o vento sabem de mim... O Amor pelo Amor não se exprime por palavras.

 

 

 

 

[E aqui fica este espaço em branco para que saibas que é aqui, nele, que está exprimido o meu amor por ti]

publicado por nOgS às 03:09
sinto-me: in love
música: Wild is the wind – David Bowie

mais sobre mim
Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30



pesquisar neste blog
 
RSS